Workshop sobre economia circular apresenta oportunidades e modelos inovadores de negócios
30 de agosto de 2017
Assessoria de Comunicação

 

strategic workshop economia circular

 

Dividido em três blocos, o encontro Economia Circular: Inovação em Modelos de Negócios e Oportunidades para o Brasil abordará os fundamentos da economia circular, casos de sucesso no Brasil e como viabilizar esse modelo. Terá a participação de palestrantes do Brasil e do exterior, seguida de debates entre eles e a audiência. Veja a programação.

 

“O conceito de economia circular, restaurativa e regenerativa por princípio busca manter de forma intencional, desde a concepção de novos negócios e produtos, os componentes e materiais em seu mais alto nível de utilidade e valor o tempo todo”, diz Ometto, que completa: “A partir da inovação para modelos de negócios circulares, como o Sistema Produto-Serviço, o compartilhamento, design voltado para a circularidade, reutilização, remanufatura e outros, muitos valores e oportunidades são criados”.

 

De acordo com os coordenadores, esse evento parte do pressuposto de que qualquer sistema cujo fundamento seja o simples consumo, não o uso restaurativo de recursos, incorre em perdas significativas de valor. Para eles, a economia circular apresenta propostas aderentes às necessidades do mundo contemporâneo e das novas tendências de mercado.

 

O evento ocorrerá das 8 às 17 horas, na Sala do Antigo Conselho Universitário, situada na Rua da Praça do Relógio, 109, no Prédio da Administração Central da Cidade Universitária, em São Paulo (SP).

 

Sobre os Strategic Workshops

Iniciada em 2015, a série Strategic Workshops já promoveu 25 encontros em áreas estratégicas e de reconhecida excelência na Universidade de São Paulo. O evento reúne pesquisadores da USP em torno de temas transdisciplinares, com objetivo é mapear expertises e promover novos arranjos de pesquisas entre os próprios pesquisadores da Universidade.

informação

Pró-Reitoria de Pesquisa da USP E-mail: usp.prp@gmail.com

Adaptação de texto de Vinícius Sayão do IEA Imagem: Divulgação